Toyota investe R$ 46 milhões em São Bernardo

Com um novo centro de pesquisa vai desenvolver produtos e fornecedores locais

Após investimento de R$ 46 milhões, a Toyota inaugurou esta semana, seu primeiro centro de pesquisa aplicada no Brasil e na América Latina. O novo prédio fica dentro das instalações em São Bernardo do Campo (SP), onde a montadora construiu sua primeira fábrica fora do Japão, em 1962, e cumpre a segunda fase do projeto “São Bernardo Reborn” que reúne iniciativas para revitalizar a velha planta no ABC Paulista.

Segundo a Toyota, a nova área reúne os departamentos de engenharia, compras, regulamentação veicular, qualidade assegurada e design de produto da marca, respondendo assim a determinações do programa Inovar-Auto, que exige investimentos em pesquisa e desenvolvimento pelos fabricantes de veículos em troca de incentivos fiscais.

“O novo centro terá testes de emissões, avaliação de novos materiais e da capacidade técnica de fornecedores. Fará também pequenos desenvolvimentos de design, como o do Etios Platinum (leia aqui) e de edições especiais”, afirma o CEO da Toyota para a América Latina e Caribe, Steve St. Angelo.

A área poderá ajudar no aumento da nacionalização de componentes para os veículos da marca no País, que atualmente usam 70% de peças nacionais, em média. Vai suprir demandas específicas do Brasil, mas poderá atender países vizinhos como a Argentina: “Existe essa possibilidade, até porque ampliamos nossas exportações”, afirma o vice-presidente executivo da Toyota do Brasil, Miguel Fonseca, referindo-se ao Etios, que é montado em Sorocaba (SP) e enviado, além da Argentina, ao Paraguai, Uruguai e Peru.

“5 Continents Drive”

“5 Continents Drive”

A primeira etapa do projeto São Bernardo Reborn ocorreu em março de 2015 com investimento de R$ 19 milhões para a transferência da sede administrativa e comercial de São Paulo para o ABC e a abertura do terceiro turno do setor de forjaria da unidade, que hoje fornece peças para fábricasda Toyota no Brasil e Estados Unidos. Também foi introduzido um programa de sustentabilidade ambiental na planta, com instalação de sistemas de captação e reúso de água da chuva e de painéis solares.

A Toyota emprega no Brasil 6 mil trabalhadores, dos quais 1,4 mil estão em São Bernardo do Campo. A unidade produziu de 1962 até 2001 a linha Bandeirante. Hoje fabrica só componentes. Há dois anos cogitava-se a nacionalização ali do híbrido Prius, que não vingou.

O projeto de fazer parte da linha Corolla em Sorocaba (SP) também foi engavetado, à espera da retomada do mercado. Mas vale dizer que a montadora vem ganhando participação na América Latina e Caribe desde criação de uma divisão para a região e a nomeação de Steve St. Angelo como seu CEO. Nestes três anos o market share da Toyota na região passou de 5,3% para aproximadamente 10%.

No Brasil a montadora registra queda inferior a 1% nas vendas acumuladas até julho ante o mesmo período do ano passado, enquanto o mercado nacional recuou quase 25%. E a empresa acredita que até o fim de 2016 terá vendido 180 mil unidades, revertendo a queda para discreta alta de 2%. As perspectivas também são favoráveis para a Toyota argentina, com 80 mil unidades e pequeno crescimento (1%) de market share.

20 MIL KM PELA AMÉRICA LATINA

No dia da inauguração do centro de pesquisa aplicada também ocorreu a largada da etapa latino-americana do projeto global “5 Continents Drive”, promovido pela Toyota Motor Corporation.

“O projeto permitirá conhecer as verdadeiras condições na região”, afirma o CEO da Toyota para América Latina e Caribe, Steve St. Angelo.

“O projeto permitirá conhecer as verdadeiras condições na região”, afirma o CEO da Toyota para América Latina e Caribe, Steve St. Angelo.

O projeto já passou por Austrália e América do Norte em 2014 e 2015, respectivamente. Na América Latina ele partiu da primeira fábrica da Toyota fora do Japão, inaugurada em 1962. Seguirá até o Centro-Oeste e Nordeste em avaliação nos grandes centros urbanos, em lugares altos e em áreas onde a tração 4×4 é essencial. A etapa brasileira terá cerca de 5 mil quilômetros.

Além do Brasil, a caravana irá viajar pela Argentina, Bolívia, Chile, Peru, Uruguai e Paraguai. Todos os Toyota fabricados no continente (Corolla, Etios, Hilux e SW4), além de importados como o híbrido Prius, serão submetidos aos testes de durabilidade e confiabilidade até o fim do ano.

“O projeto permitirá conhecer as verdadeiras condições na região”, afirma o CEO da Toyota para América Latina e Caribe, Steve St. Angelo. De acordo com o executivo, o novo centro de pesquisa aplicada dará agilidade à montadora para fazer mudanças nos produtos a partir de informações obtidas pelo “5 Continents Drive”. Mais de 30 engenheiros e técnicos da marca do Brasil integram o projeto.

Fonte – Licio Melo – Mário Curcio/Ab – Toyota

Dica do BVMI para trabalhar na Toyota do Brasil Ltda:

Acesse TRABALHE CONOSCO, faça sua pesquisa de vagas, cadastre seu CV para concorrer a todas as oportunidades da companhia, desejo boa sorte a todos os candidatos!

 


Nenhum comentário em "Toyota investe R$ 46 milhões em São Bernardo"